Torres

Histórico A- A+

A Companhia de Geração e Transmissão de Energia Elétrica do Sul do Brasil (CGT Eletrosul) é uma empresa pública de geração e transmissão de energia resultante do processo de reestruturação societária das duas subsidiárias da Eletrobras na região Sul: Eletrosul e CGTEE. O projeto de unificação das operações das duas subsidiárias foi iniciado pela Eletrobras em 2017, como parte estratégica do Plano Diretor de Negócios e Gestão (PDNG). Visando uma atuação ampliada e integrada, além de sinergia operacional e ganhos consistentes de eficiência, o processo de reestruturação societária foi concluído efetivamente em 02 de janeiro de 2020 .

Controlada pela Eletrobras e vinculada ao Ministério de Minas e Energia, a CGT Eletrosul é uma sociedade de economia mista que reúne a tradição de mais de 50 anos da Eletrosul, criada em 1968, e a experiência da CGTEE, em operação desde 1997. Referência nacional em transmissão e geração de energia, com sede em Florianópolis (SC), a CGT Eletrosul possui, ainda, relevante atuação no mercado de comercialização e telecomunicações, contribuindo de maneira significativa para o desenvolvimento econômico e social do Brasil.

O expressivo montante de ativos em transmissão, aliado à operação plena de quatro hidrelétricas próprias e a participação nas usinas Jirau, Teles Pires e Governador Jayme Canet Júnior, além d a modernização da Termelétrica Candiota III (Fase C) e  do avanço dos empreendimentos eólicos na região Sul, consagram o perfil empreendedor da CGT Eletrosul e apontam que, nos próximos anos, a empresa continuará ocupando um patamar de destaque no competitivo setor elétrico.

LINHA DO TEMPO CGT ELETROSUL

2020

  • Os acionistas da Eletrosul e da CGTEE aprovaram, em Assembleias Gerais Extraordinárias (AGEs) realizadas no dia 02 de janeiro de 2020, a unificação de operações das duas subsidiárias da Eletrobras na região Sul , visando a obtenção de sinergia operacional, tributária, econômico-financeira e societária. A empresa resultante foi denominada CGT Eletrosul (Companhia de Geração e Transmissão de Energia Elétrica do Sul do Brasil), com sede administrativa em Florianópolis (SC). A aprovação da unificação pelos acionistas marcou a conclusão do projeto, iniciado em 2017 e previsto no Plano Diretor de Negócios e Gestão (PDNG) da Eletrobras, documento que orienta para a busca por sinergia societária entre controladas regionais. A iniciativa tem como objetivo consolidar uma atuação única e integrada no Sul do Brasil, eficiência operacional, melhoria de processos e otimização de resultados.

 

  • infraestrutura de telecontrole de 37 subestações de transmissão  da CGT Eletrosul iniciou um importante processo de modernização. O investimento, considerando somente os equipamentos, foi estimado em R$ 6 milhões e inserido no Plano Diretor de Melhorias e Reforços. A nova infraestrutura aplicará conceitos de segurança cibernética, adotando as melhores práticas preconizadas por normas internacionais. O prazo de conclusão previsto para o projeto, inicialmente, é de três anos, mas a intenção da empresa é realizá-lo, no máximo, em 18 meses, devido ao impacto positivo na qualidade que isso significa para todo o sistema de telecontrole.

 

  • Foram iniciadas as  obras de implantação da Central de Geração Hidrelétrica (CGH) Cachoeira Branca , com capacidade instalada de 1,05 MW. A unidade ficará à jusante da barragem da UHE São Domingos, situada no rio Verde, entre os municípios de Ribas do Rio Pardo e Água Clara, no Mato Grosso do Sul. O novo empreendimento aproveitará a vazão sanitária (remanescente). O início da operação está previsto para 2021.

 

  • O maior torneio de tênis da América do Sul, o Rio Open, foi, pela primeira vez, neutro em emissões de CO2 . Realizado no Rio de Janeiro de 15 a 23 de fevereiro, o campeonato contou com créditos de carbono gerados pela Hidrelétrica Jirau. A usina é administrada pela Energia Sustentável do Brasil (ESBR), que tem como acionistas as empresas Engie (40%), CGT Eletrosul (20%), Chesf (20%) e Mizha (20%). A parceria com o torneio compensou cerca de 1.080 toneladas de gases de efeito estufa, o que corresponde ao plantio de 6.600 árvores por ano.

 

  • Além de adotar medidas e protocolos para garantia dos serviços de geração e transmissão de energia elétrica, essenciais para o país, as Empresas Eletrobras estiveram mobilizadas no combate à Covid-19. A CGT Eletrosul destinou R$ 1 milhão para a campanha Salvando Vidas , coordenada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e voltada para a área da saúde. A empresa também realizou a doação de 4.234 cestas básicas a duas organizações sem fins lucrativos sediadas em Florianópolis (SC): Associação Casa São José e Instituto Guga Kuerten. Os donativos foram distribuídos a famílias em situação de vulnerabilidade socioeconômica, as mais afetadas no contexto do novo coronavírus. O valor investido pela empresa nesta doação foi de aproximadamente R$ 200 mil.

 

  • A Companhia Hidrelétrica Teles Pires, da qual a CGT Eletrosul detém 24,7% de participação societária, se juntou ao Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) para promover  doação de cestas básicas e kits de higiene em quatro municípios do Pará , além de capacitação de adolescentes sobre autocuidado e saúde mental. No total, 1.544 famílias foram beneficiadas com o auxílio e 160 jovens participaram dos encontros online.

 

  • A Hidrelétrica Jirau, sob responsabilidade do consórcio Energia Sustentável do Brasil (ESBR), que tem participação acionária da CGT Eletrosul (20%), investiu cerca de  R$ 700 mil no combate do coronavírus  em mais de 16 localidades de Rondônia. Foram entregues cestas básicas, equipamentos de proteção individual, material de testagem, entre outros itens. Os recursos, provenientes de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), beneficiaram mais de 35 mil pessoas por meio de projetos sociais e apoio a instituições de ensino, secretarias e distritos sanitários de saúde e segurança pública.

 

  • No dia 02 de julho,  CGT Eletrosul e Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC) oficializaram parceria  que possibilita o uso compartilhado de infraestruturas de telecomunicações para implementação de sistema de radiocomunicação digital do CBMSC. O acordo de cooperação técnica vai propiciar melhoria e ampliação da área de cobertura do sistema de comunicação do CBMSC. Em contrapartida, a CGT Eletrosul terá redução de despesas operacionais envolvendo suas estações repetidoras.

 

  • Devido à conjuntura socioeconômica e sanitária, o evento técnico  Sessão Bienal Paris, promovido pelo Cigre , foi realizado em formato virtual, recebendo um novo título: e-Session. Além das apresentações habituais, foram incluídos trabalhos sobre o impacto da pandemia de Covid-19 no cenário internacional de energia elétrica. No total, foram apresentados 83 webinars, de 24 de agosto a 3 de setembro. A CGT Eletrosul esteve representada, no encontro técnico online, por profissionais que apresentaram quatro estudos, com diferentes temáticas.

 

  • Jovens de 14 a 18 anos participaram de curso preparatório para o mercado de trabalho ministrado pela organização internacional Inspiring Girls . A ação foi viabilizada pela ONG Transmissão da Cidadania e do Saber, com apoio da CGT Eletrosul e de seu Comitê de Gênero, Raça e Diversidade. No total, 12 meninas de Florianópolis (SC) – jovens aprendizes e estagiárias na empresa, além de integrantes do Centro Cultural Escrava Anastácia – participaram de oito encontros online de capacitação. Profissionais da CGT Eletrosul integraram a iniciativa, com o intuito de inspirar as jovens através de suas histórias pessoais e profissionais.

 

  • Três  iniciativas educacionais selecionadas na área de atuação da CGT Eletrosul  foram beneficiadas com aporte de R$ 76 mil proveniente do Edital de Projetos Sociais das Empresas Eletrobras. Foram contempladas as Associações de Pais e Alunos dos Excepcionais de Palma Sola (SC), Curiúva (PR) e Mangueirinha (PR). Os critérios de escolha estão alinhados às diretrizes da Política de Responsabilidade Social das Empresas Eletrobras, que estimula a promoção de melhoria de qualidade de vida e de redução de desigualdades, em consonância com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 da ONU.

 

  • A Hidrelétrica Jirau, da qual a CGT Eletrosul detém 20% de participação societária, entregou três postos de saúde, dois veículos e 13 módulos de melhorias sanitárias domiciliares nas  aldeias da Terra Indígena Kaxarari,  em Porto Velho (RO). As ações de desenvolvimento comunitário na área da saúde fazem parte do Subprograma de Apoio à Saúde Indígena, desenvolvido por Jirau. O investimento foi de cerca de R$ 2 milhões e visa a melhoria da qualidade de vida das comunidades.

 

  • O evento que reúne anualmente as principais produções audiovisuais do Brasil e do mundo destinadas ao público infantil, em 2020, foi readequado devido à pandemia de Covid-19. Totalmente online e gratuita, a 19º Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis aconteceu de 21 a 28 de novembro, tendo a CGT Eletrosul como patrocinadora. No total, 63 filmes de ficção, animação e documentais fizeram parte da programação.

 

  • Foram abertas  29 vagas para o Programa Jovem Aprendiz da CGT Eletrosul , que tem o objetivo de capacitar adolescentes e jovens, com idade entre 14 e 23 anos, para inserção no mercado de trabalho. As oportunidades foram ofertadas para cursos realizados em parceria com o Senai no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Durante o período de aprendizagem, a empresa oferece remuneração baseada no salário mínimo regional proporcional à carga horária e benefícios como vale-transporte e vale-alimentação, além de seguro contra acidentes pessoais.

 

  • Com patrocínio da CGT Eletrosul, foi lançado no mês de dezembro o  livro “Pró-Música de Florianópolis e Darcy Brasiliano dos Santos – Construção coletiva de sentidos” , escrito pela jornalista Néri Pedroso. A obra impressa aborda a trajetória do gestor cultural que colocou a capital catarinense no roteiro das grandes orquestras, instrumentistas, conjuntos de música erudita, companhias de dança do Brasil e do exterior, a partir da década de 1970.

 

  • Foi aprovada, em reunião do Conselho de Administração da Eletrobras, em 29 e 30 de outubro de 2020, e em Assembleia Geral Extraordinária da CGT Eletrosul, em 11 de novembro, a captação de recursos por meio de emissão de debêntures incentivadas simples , com prazo de oito anos. A oferta pública foi encerrada em 15 de dezembro, e o montante total é de R$ 300 milhões. É a primeira vez que a companhia realiza este tipo de operação financeira. O valor obtido por meio da emissão será integralmente destinado ao desenvolvimento, à construção e à operação de projetos de transmissão. No total, 34 subestações e nove linhas de transmissão de Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul receberão obras de reforços, com prazos de conclusão que vão de 2020 a 2023.

 

  • A incorporação da Transmissora Sul Brasileira de Energia (TSBE) pela CGT Eletrosul foi aprovada no dia 30 de dezembro. A deliberação ocorreu em Assembleias Gerais Extraordinárias dos acionistas das duas empresas. A operação consta no escopo da iniciativa de racionalização das participações societárias da Eletrobras, nos termos do Plano Diretor de Negócios e Gestão (PDNG) 2021-2025.

 

  • O ano de 2020 foi marcado pela conclusão e energização de importantes ampliações de subestações da CGT Eletrosul. Muitos desafios foram superados durante a pandemia de Covid-19, e diversas equipes da empresa, seguindo os protocolos de segurança, estiveram empenhadas na finalização dos empreendimentos, que proporcionaram reforço à transmissão de energia na região Sul do Brasil:
  • No dia 14 de dezembro, foram concluídas as atividades vinculadas aos testes de comissionamento do seccionamento da linha de transmissão Assis – Londrina (230 kV) na Subestação Londrina Copel. Entraram em operação comercial duas novas LTs, na mesma tensão: Assis – Londrina Copel e Londrina – Londrina Copel. O montante investido pela CGT Eletrosul foi de mais de R$ 12 milhões.
  • Já no dia 23 de dezembro, foram energizados o primeiro e o segundo reator de 230 kV (50 MVAr cada) da Subestação Desterro , em Florianópolis (SC). O investimento realizado foi de R$ 19,9 milhões.
  • Novo transformador 4, de 230/69 kV e 150 MVA, da Subestação Siderópolis , no Sul de Santa Catarina, foi entregue à operação comercial, no dia 8 de novembro. A instalação do equipamento aumentou a capacidade de transformação de 352 MVA para 414 MVA. Foram investidos cerca de R$ 6,3 milhões.
  • Foi entregue à operação comercial o terceiro transformador (88 MVA) da Subestação Farroupilha , na Região Metropolitana da Serra Gaúcha. A instalação do novo equipamento aumentou a capacidade de transformação da unidade de 176 MVA para 264 MVA.
  • O segundo banco de reatores de barra de 525 kV da Subestação Londrina , no Paraná, foi entregue à operação comercial no dia 28 de junho. O primeiro banco já havia sido concluído no dia anterior. Isso resultará em um fornecimento de energia elétrica de melhor qualidade para a Região Metropolitana de Londrina.
  • O segundo banco de reatores de barra de 525 kV da Subestação Blumenau foi entregue pela CGT Eletrosul à operação comercial no dia 06 de junho. Foi realizado investimento total de aproximadamente R$ 18 milhões. Ampliação beneficiou as regiões Sul e Extremo Sul de Santa Catarina.

  História da Eletrosul

  História da CGTEE

voltar        topo da página

CGT Eletrosul
Rua Deputado Antônio Edu Vieira, 999 - Pantanal - Florianópolis - SC.
Telefone: (48) 3231-7000
  • Siga-nos pelo Facebook
  • Siga-nos pelo Twitter
  • Siga-nos pelo Youtube
  • Siga-nos pelo Instagram
  • Siga-nos pelo Youtube