Usina

  A- A+

 

 

Desde 2004, a Eletrosul vem acumulando know-how em geração fotovoltaica. Junto da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) e outros parceiros, desenvolveu pesquisas para produção de painéis fotovoltaicos com tecnologia nacional. Foram produzidos 200 módulos e o resultado foi extremamente satisfatório, alcançando índices de eficiência comparáveis aos padrões mundiais, entre 13,5% e 16%. Esse resultado foi certificado pelo laboratório holandês Kema, principal autoridade global em testes e certificação de processos e produtos do setor elétrico.

Em 2009, para estudar a tecnologia e avaliar o potencial de geração solar, a empresa colocou em operação uma planta-piloto fotovoltaica, na área de estacionamento em frente à sua sede, em Florianópolis. Sobre a cobertura, que tem 228 metros quadrados de área, estão instalados 88 módulos de silício amorfo de 136 Wp, totalizando uma capacidade de 12 kilowatts-pico (kWp). A energia gerada atende parte do consumo do edifício-sede.

Estima-se que a energia elétrica gerada seja equivalente ao consumo anual de 6,4 residências da Região Sul do Brasil. Desde o primeiro ano de operação até dezembro de 2014, a planta piloto produziu 70,89 MWh.

Acompanhe o desempenho da Planta Piloto

 

 

Domínio Tecnológico 

A Eletrosul está investindo mais de R$ 20 milhões em pesquisas para purificação do silício (matéria-prima dos painéis fotovoltaicos) e fabricação de células solares. O objetivo desse projeto de P&D é criar uma metodologia de processamento para se chegar ao silício de grau solar, com 99,9999% de pureza. O sucesso dessas pesquisas será um marco tecnológico e pode colocar o Brasil entre os poucos países que têm pleno domínio da cadeia de produção de módulos fotovoltaicos. Estados Unidos e Japão são os maiores produtores de silício de alta pureza. 

A estatal firmou parceria com a Fundação Educacional de Criciúma (Fucri) – instituição mantenedora da Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc) – para o desenvolvimento desses estudos, contando também com a participação do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen).  

A unidade piloto de purificação de silício e fabricação de células solares ficará sediada no Parque Científico e Tecnológico da Unesc (Iparque), em Criciúma (cerca de 190 quilômetros de Florianópolis). Uma estrutura já existente, de 1,3 mil metros quadrados de área construída, será reformada e adaptada para receber os equipamentos necessários para a purificação e laminação do silício.

Estações Solarimétricas 

Os níveis de radiação solar e seu potencial para geração de energia elétrica estão sendo avaliados pela Eletrosul em três dos estados onde atua a empresa. Foram instaladas, em 2014, seis unidades de medição, chamadas estações solarimétricas, junto de empreendimentos no Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina. 

As estações solarimétricas dispõem de tecnologia para medições do potencial tanto fotovoltaico como termossolar. Até agora, as prospecções para implantação de usinas termossolares ou CSP (sigla em inglês para energia solar concentrada), no Brasil, têm se restringido ao campo da pesquisa. 

No Rio Grande do Sul, as estações solarimétricas da Eletrosul foram instaladas junto da Conversora Uruguaiana, no município de mesmo nome, e outra na área da Hidrelétrica Passo São João, em Roque Gonzales. Em Mato Grosso do Sul, são três unidades: junto da Hidrelétrica São Domingos, em Água Clara, e das subestações de Dourados e Anastácio. Em Santa Catarina, a estação foi instalada na área da Subestação Campos Novos.

Os dados coletados nas estações solarimétricas são armazenados em um dispositivo eletrônico (datalogger) e transmitidos para a sede da Eletrosul, em Florianópolis (SC), onde técnicos e engenheiros, com ajuda de um software, fazem o processamento e análise das informações.

Nova usina solar experimental 

Atendendo à Chamada de P&D Estratégico nº 13 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para Arranjos Técnicos e Comerciais para Inserção da Geração Solar Fotovoltaica na Matriz Energética Brasileira, a Eletrosul instalou, em 2015, uma usina fotovoltaica de pesquisa, na área da sede administrativa da empresa, em Florianópolis (SC).

A usina experimental ocupa uma área de 442,5 metros quadrados e reune cinco diferentes tecnologias de geração solar fotovoltaica como, por exemplo, de filme fino, silício policristalino e telureto de cádmio, com 6 killowatts (kW) de potência instalada total. O projeto prevê, ainda, a integração a uma estação solarimétrica (unidade de medição para acompanhar o desempenho da planta), já instalada pela Eletrosul, e a implantação do sistema elétrico para conexão ao sistema de supervisão e controle fotovoltaico da Usina Megawatt Solar, também inserida no P&D Aneel.

voltar        topo da página

Eletrosul Centrais Elétricas S.A.
Rua Deputado Antônio Edu Vieira, 999 - Pantanal - Florianópolis - SC.
Telefone: (48) 3231-7000
  • Siga-nos pelo Facebook
  • Siga-nos pelo Twitter
  • Siga-nos pelo Youtube