Subestação

Destaque A- A+

21/10/2019 Eletrosul compartilha conhecimento técnico

Com o objetivo de proporcionar a apresentação de estudos e disseminar informações específicas de determinadas temáticas com toda empresa, o Seminário Compartilhando Conhecimento, realizado na última sexta-feira (18/10) na sede da Eletrosul, em Florianópolis (SC), chegou a sua 8ª edição, com um total de nove trabalhos apresentados. 

Seminário discute estudos que serão apresentados no SNPTEE 2019 (Foto: Mariana Eli)

Coordenado pelo Setor de Educação Corporativa e o Comitê de Gestão do Conhecimento da Eletrosul, o encontro teve a apresentação dos trabalhos selecionados para o XXV Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica (SNPTEE), que acontecerá de 10 a 13 de novembro, em Belo Horizonte (MG).

Com temas como a análise de rotas migratórias de aves e morcegos, e estudos aplicados em usinas eólicas, em PCHs e subestações, entre outros, um dos objetivos do seminário é, além de compartilhar o conhecimento com os colegas, também a troca de ideias com profissionais de diferentes áreas da empresa e sugestões de possíveis melhorias para as apresentações que serão realizadas no evento nacional.

O SNPTEE, maior evento técnico do setor elétrico brasileiro, conta, em cada uma de suas edições, com uma média de 500 Informes Técnicos e cerca de 1,8 mil participantes. É promovido a cada dois anos pelo Comitê Nacional Brasileiro de Produção e Transmissão de Energia Elétrica - Cigré-Brasil.

Divulgação

Com o objetivo de divulgar para a sociedade em geral esses estudos realizados pelos profissionais da Eletrosul e aprovados no SNPTEE 2019, iniciaremos uma série semanal sobre cada um deles em nossos canais de comunicação.

O primeiro trabalho em destaque foi produzido pela analista ambiental - bióloga Liliane Lionço, que atua no Departamento de Gestão Ambiental e Fundiária da Eletrosul.

Objetivo do trabalho era avaliar o impacto das estruturas sobre as aves e morcegos

Estudo sobre rotas migratórias de aves e morcegos – Liliane Lionço

Com modelos de 108 metros de altura e outros de 51 metros, as torres anemométricas são instaladas em áreas potenciais para a implantação de aerogeradores, sendo responsáveis pela aferição de dados climáticos, em especial a incidência dos ventos, essencial para a construção de empreendimentos eólicos.

O “Monitoramento da interferência das torres anemométricas sobre as rotas migratórias de aves e sobre os morcegos”, estudo apresentado pela bióloga Liliane Lionço, foi solicitado à época pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luiz Roessler (Fepam - RS).

De dezembro de 2014 a dezembro de 2015, foram monitoradas 20 torres anemométricas instaladas em diversas regiões do Rio Grande do Sul para avaliar os impactos das estruturas sobre aves e morcegos. De acordo com a bióloga Liliane Lionço, foram realizadas oito campanhas: uma por mês durante a primavera e verão e duas sazonais, no outono e no inverno.

Segundo Lionço, a metodologia utilizada foi pioneira porque não havia bibliografia para monitoramentos realizados em torres anemométricas e a maior parte das atividades já executadas neste sentido foi realizada em linhas de transmissão e torres de comunicação.

“Para a metodologia adotada, utilizamos informações das torres de comunicação, televisão e linhas de transmissão sobre a fauna. E com base nessas referências, contratamos uma empresa com ornitólogos e mastozoólogos para o ano de monitoramento”, comenta.

Os resultados obtidos durante o estudo permitiram verificar áreas mais sensíveis a interferências sobre as comunidades de aves e a proposição de medidas para reduzir possíveis impactos das torres anemométricas sobre as espécies, tanto migratórias quanto residentes nos locais dos empreendimentos.

As medidas propostas pelos especialistas foram a sinalização de algumas torres em três áreas analisadas e a continuidade do monitoramento nesses pontos. Os resultados do estudo não demonstraram impactos negativos sobre as comunidades de morcegos, não sendo necessárias medidas para esse grupo.


Assessoria de Imprensa | Eletrosul

(48) 3231-7588 | imprensa@eletrosul.gov.br

voltar        topo da página

Eletrosul Centrais Elétricas S.A.
Rua Deputado Antônio Edu Vieira, 999 - Pantanal - Florianópolis - SC.
Telefone: (48) 3231-7000
  • Siga-nos pelo Facebook
  • Siga-nos pelo Twitter
  • Siga-nos pelo Youtube
  • Siga-nos pelo Youtube
  • Siga-nos pelo Youtube