Torres

Destaque A- A+

10/11/2020 Modernização do Telecontrole de Subestações

A infraestrutura de telecontrole de 37 subestações de transmissão da CGT Eletrosul está passando por uma fase de modernização. Atualmente, 70 unidades, entre próprias e de outras empresas, são operadas de forma remota por meio de cinco Centros Regionais, localizados no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. 

Este telecontrole está baseado em uma infraestrutura local fundamentada no Sistema Aberto de Gerenciamento de Energia (Sage) e no sistema de telecomunicações envolvendo cada um dos Centros.

Checagem de funções de supervisão do Sage na Subestação Machadinho (SC)

A base dessa infraestrutura local contempla: as Unidades Concentradoras do Sistema, computadores onde roda o Sage; switches que conectam os dispositivos de proteção e controle locais com o telecontrole; um terminal serial para comunicações; e um console KVM, que permite acesso aos computadores no painel. Além disso, há um computador de engenharia e um terminal para operação.

Modernização

As Unidades Concentradoras do Sistema estão sendo substituídas por computadores fanless (sem nenhum tipo de elemento móvel) de última geração, assim como a máquina de engenharia e o terminal de operação, que usarão o mesmo dispositivo, tornando-se terminal de manutenção e operação.

O investimento, considerando somente os equipamentos, está estimado em R$ 6 milhões e inserido no Plano Diretor de Melhorias e Reforços da CGT Eletrosul. A nova infraestrutura aplicará conceitos de segurança cibernética, adotando as recomendações do Comitê de Segurança da Rede Industrial da CGT Eletrosul e as melhores práticas preconizadas por normas internacionais. Além disso, permitirá inserir ferramentas de engenharia de manutenção de relés de proteção, facilitando as intervenções e atendimentos locais e remotos.

Subestação Caxias (RS) está incluída no projeto (Foto: Mateus Correa)

O prazo de conclusão previsto para o projeto, inicialmente, é de três anos, mas a intenção da empresa é realizá-lo, no máximo, em 18 meses, devido ao impacto positivo na qualidade que isso significa para todo o sistema de telecontrole. As subestações próprias não abarcadas nesse momento passarão por atualização por meio de outros processos. 

A expectativa é de que, em dois anos, todas as instalações de transmissão da CGT Eletrosul estejam modernizadas. Esta iniciativa está sendo conduzida pela Divisão de Engenharia de Manutenção de Proteção, Controle e Automação, vinculada ao Departamento de Automação, Proteção e Telemática.

Essa atualização tecnológica propiciará a utilização plena dos recursos de supervisão e controle disponíveis no Sage, resultando em maior segurança, confiabilidade e qualidade na operação das subestações contempladas. 

Unidades Integrantes do Projeto

Atlântida 2, Biguaçu, Campo Grande, Campo Mourão, Campos Novos, Caxias, Caxias 5, Caxias 6, Curitiba, Farroupilha, Forquilhinha, Garibaldi 1, Gravataí, Gravataí 3, Guarita, Ijuí 2, Itá, Ivaiporã, Joinville, Joinville Santa Catarina, Londrina, Machadinho, Mimoso, Missões, Monte Claro, Nova Andradina, Nova Petrópolis 2, Nova Prata 2, Osório 2, Passo Fundo, Presidente Médici, Salto Osório, Salto Santiago, Santa Cruz 1, Santo Ângelo, Tapera 2 e Xanxerê.


Assessoria de Imprensa | CGT Eletrosul

(48) 3231-7588 | imprensa@cgteletrosul.gov.br

voltar        topo da página

CGT Eletrosul
Rua Deputado Antônio Edu Vieira, 999 - Pantanal - Florianópolis - SC.
Telefone: (48) 3231-7000
  • Siga-nos pelo Facebook
  • Siga-nos pelo Twitter
  • Siga-nos pelo Youtube
  • Siga-nos pelo Instagram
  • Siga-nos pelo Youtube