Torres

Notícias A- A+

08/06/2021 Compra de participações na FOTE e TSLE

A CGT Eletrosul oficializou, no dia 21 de maio, a aquisição dos 49% de participação societária da Fronteira Oeste Transmissora de Energia (FOTE) pertencentes à Companhia Estadual de Transmissão de Energia Elétrica (CEEE-T), por meio de assinatura de contrato de compra e venda de ações. O exercício do direito de preferência foi aprovado, anteriormente, pelo Conselho de Administração da Eletrobras.

Nesta operação, a CGT Eletrosul vai investir o valor de R$ 83,1 milhões. Os trâmites (transferência de ações e pagamento) devem ser concluídos até 21 de junho. A FOTE foi constituída em 2013 para construir, operar e manter as instalações de transmissão integrantes do Lote I, arrematado no Leilão Aneel nº 007/2013. 

Sistema de transmissão da TSLE no Rio Grande do Sul  

Os ativos da empresa compreendem: Sistema Santa Maria 3 - ampliação de SE 230/138 kV - 2 x 83 MVA (novo pátio), em operação comercial desde 19/05/2016; Sistema Foz do Chapecó – Pinhalzinho 2 (circuito C1) - em operação desde 28/02/2018, Sistema Santo  ngelo – Maçambará (C2), em operação comercial desde 06/12/2019, e Sistema Foz do Chapecó – Pinhalzinho 2 (circuito C2), em fase final de conclusão. Sua receita anual é de R$ 23 milhões.

TSLE

Ainda no âmbito do exercício de direito de preferência aprovado pelo Conselho de Administração da Eletrobras, a CGT Eletrosul também está em processo de aquisição da participação de 49% da Transmissora Sul Litorânea de Energia (TSLE), igualmente de propriedade da CEEE-T. 

No dia 26 de maio, foi assinado contrato de promessa de compra e venda de ações. A celebração do contrato de compra e venda de ações, documento definitivo, está condicionada à obtenção de anuência dos credores da TSLE – processo com duração estimada de três meses. A CGT Eletrosul vai investir aproximadamente R$ 217,5 milhões nessa operação. 

A TSLE foi constituída em 2012 com o propósito de construir, operar e manter instalações de transmissão arrematadas no Leilão Aneel nº 005/2012. Os ativos da empresa compreendem: LT Nova Santa Rita – Povo Novo, em 525 kV circuito simples, 268 km; LT Povo Novo – Marmeleiro 2, em 525 kV circuito simples, 152 km; LT Marmeleiro 2 – Santa Vitória do Palmar 2, em 525 kV circuito simples, 48 km, SE 525/230 kV Povo Novo 2 x 672 MVA; SE 525 kV Marmeleiro 2; SE 525/138 kV Santa Vitória do Palmar 2 e SE Nova Santa Rita 525 kV, um módulo de conexão da saída da LT 525 kV para Povo Novo.

EXPANSÃO

Os ativos das citadas Sociedades de Propósito Específico (SPEs) constituem importantes empreendimentos que melhoraram o suprimento de energia elétrica no Sul do Rio Grande do Sul e a conexão dos parques eólicos da região com o Sistema Interligado Nacional (SIN). Sua receita anual é de R$ 133 milhões.

Com as duas operações consolidadas, a CGT Eletrosul passará a deter 100% do capital social das referidas SPEs. Futuramente, será promovida a incorporação de ambas, no escopo da iniciativa de racionalização das participações societárias da Eletrobras, nos termos do Plano Diretor de Negócios e Gestão (PDNG) 2021-2025. 


Assessoria de Imprensa | CGT Eletrosul

(48) 3231-7588 | imprensa@cgteletrosul.gov.br

voltar        topo da página

CGT Eletrosul
Rua Deputado Antônio Edu Vieira, 999 - Pantanal - Florianópolis - SC.
Telefone: (48) 3231-7000
  • Siga-nos pelo Facebook
  • Siga-nos pelo Twitter
  • Siga-nos pelo Youtube
  • Siga-nos pelo Instagram
  • Siga-nos pelo Youtube