All

Notícias A- A+

23/04/2021 Ferramenta de avaliação da qualidade do ar

Na série de apresentação dos trabalhos da CGT Eletrosul selecionados para a etapa nacional do 1º Prêmio de Inovação das Empresas Eletrobras, tratamos da solução intitulada “Ferramenta computacional de prognóstico e diagnóstico da qualidade do ar da região de Candiota (RS)”, aprovada na categoria Socioambiental.

O projeto, de autoria de Luis Eduardo Brose Piotrowicz, especialista em Gestão Ambiental e Sustentabilidade e gerente da Divisão de Gestão Ambiental da Usina Termelétrica, da CGT Eletrosul, é um dos três finalistas que representarão a empresa em evento de exposição virtual, organizada pela Eletrobras, no dia 27 de maio, quando serão anunciados os vencedores da premiação.

Solução

A dispersão dos gases de combustão e partículas liberados pela chaminé da Termelétrica Candiota III é resultado das condições meteorológicas locais e influencia a qualidade do ar no entorno da instalação. Anteriormente, o monitoramento contínuo verificava somente ocorrências passadas, impossibilitando a execução de ações preventivas, para mitigação de potenciais impactos.

Além disso, enquanto as emissões atmosféricas eram controladas pela empresa, as condições meteorológicas, objeto de previsão, variam de forma aleatória e independente. Por isso, se fez necessário um dispositivo digital que viabilizasse antecipação de eventos de baixa dispersão com degradação da qualidade do ar. Por se tratar de solução ainda não oferecida pelo mercado, foi preciso desenvolvê-la.

A criação dessa ferramenta computacional ocorreu por meio de projeto de P&D Aneel e em convênio com o Laboratório de Meteorologia e Qualidade do Ar da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). O mecanismo integra modelos de prognóstico e diagnóstico em relação à qualidade do ar e à meteorologia da região de Candiota.

Resultados

A aplicação do recurso fornece, diariamente e de maneira automatizada, predição de meteorologia e qualidade do ar dos três dias seguintes, com resultados simulados em intervalos de três horas. Isso possibilita uma gestão adequada do processo industrial, avaliando a produção e a emissão máxima da termelétrica, antevendo eventuais cenários de baixa dispersão de poluentes (devido a condições meteorológicas previstas) e reduzindo a probabilidade de impactos na qualidade do ar da área.

A solução se mostrou eficaz, minimizando riscos de desligamento e de redução de carga da unidade geradora. Também viabilizou uma diminuição de pontos de monitoramento ambiental, com anuência do Ibama, baixando custos operacionais. A ferramenta computacional está em atividade junto ao Centro Supervisório de Monitoramento Ambiental da usina. Desde sua implementação, em 2017, a companhia não recebeu mais autos de infrações ambientais relacionadas ao tema na localidade.

A CGT Eletrosul acompanha, de forma contínua, as emissões atmosféricas da chaminé da UTE Candiota III. O empreendimento foi totalmente modernizado em 2020, adotando tecnologia de ponta com o objetivo de melhorar a qualidade de seu combustível principal e minimizar a liberação de gases de efeito estufa (GEEs), o que proporcionou ganhos em performance e eficiência. Além disso, três estações de monitoramento de qualidade do ar estão distribuídas estrategicamente pela cidade, com medições registradas a cada hora. Todos os dados são transmitidos de maneira online ao Ibama.


Assessoria de Imprensa | CGT Eletrosul

(48) 3231-7588 | imprensa@cgteletrosul.gov.br

voltar        topo da página

CGT Eletrosul
Rua Deputado Antônio Edu Vieira, 999 - Pantanal - Florianópolis - SC.
Telefone: (48) 3231-7000
  • Siga-nos pelo Facebook
  • Siga-nos pelo Twitter
  • Siga-nos pelo Youtube
  • Siga-nos pelo Instagram
  • Siga-nos pelo Youtube