Torres

Notícias A- A+

18/06/2021 Responsabilidade com a preservação de espécies na CGT Eletrosul

No Mês Mundial do Meio Ambiente, a CGT Eletrosul reforça seu compromisso  com o desenvolvimento sustentável do país. Para a companhia, a expansão dos negócios caminha junto da implementação e fortalecimento de uma cultura de sustentabilidade, buscando a conscientização tanto do público interno quanto do externo. 

Ações alinhadas com Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável 

Confira alguns exemplos de ações de conhecimento, monitoramento, conservação e recuperação da biodiversidade e serviços ecossistêmicos desenvolvidas pelo Departamento de Gestão Ambiental e Fundiária da CGT Eletrosul. Elas refletem e estão alinhadas com a Política Ambiental das Empresas Eletrobras e o Compromisso Empresarial Brasileiro para a Biodiversidade, do qual a companhia é signatária desde 2019, além da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, desenvolvida pela ONU (Organização das Nações Unidas).

Monitoramento de aves

A CGT Eletrosul executa seu Programa de Monitoramento de Aves nos parques eólicos de sua propriedade, no Rio Grande do Sul. Os principais objetivos são o registro de espécies migratórias, endêmicas ou ameaçadas de extinção, para acompanhar a biodiversidade na região, e a análise da intensidade dos impactos causados às populações desses animais nas áreas onde estão instalados os aerogeradores.

Até o momento, foram observadas 195 espécies de aves nessas localidades. Algumas delas são garça-vaqueira, quero-quero, caturrita, caraúna, andorinha-de-sobre-branco, ema, codorna-do-campo, gavião-caboclo e gavião-cinzento. 

Garça-vaqueira e gavião-caboclo são espécies presentes em parques eólicos 

Controle de plantas exóticas

O Parque Estadual da Serra do Tabuleiro é a maior unidade de conservação de Santa Catarina, e inclui áreas de montanha e ilhas marinhas. Embora a maior parte se encontre em bom estado de preservação, alguns locais foram utilizados, no passado, para acampamento de pescadores, introdução e cultivo de plantas alimentícias e outras, consideradas úteis ou ornamentais. 

A maioria delas é exótica àquele ambiente – algumas, inclusive, são invasoras, ou seja, se propagam e ocupam o espaço de espécies nativas, alterando o funcionamento e a composição do ecossistema.

No Brasil, essa prática é proibida por lei, por apresentar risco de impacto à biodiversidade nativa. Em função disso, a CGT Eletrosul atuou suprimindo as espécies exóticas, como bananeira, goiabeira, bambuzal, limoeiro e capim-elefante, em sete ilhas do parque. A atividade está relacionada com o subgrupo Guapuruvu, que contempla empreendimentos no estado catarinense, entre linhas de transmissão, seccionamentos e subestações.

Transposição e monitoramento de peixes

O Programa Ambiental de Transposição e Monitoramento de Peixes da CGT Eletrosul, executado na Hidrelétrica São Domingos, no Mato Grosso do Sul, traz importantes informações sobre a biodiversidade de peixes existente na região do empreendimento e contribui, de maneira eficaz, para a conservação das espécies, principalmente das migradoras.

Para que essas espécies migradoras consigam reproduzir-se nas nascentes dos rios, é necessário que elas transponham a barragem da hidrelétrica. Por isso, a CGT Eletrosul captura o maior número possível de peixes à jusante da barragem e os solta na área do reservatório, permitindo que continuem seu processo migratório e reprodutor, aumentando suas populações.Desde a construção da barragem, foram transpostos mais de 20 mil peixes, de espécies como curimba e dourado.

Peixes são capturados e soltos em reservatório para que sigam migração (Fotos: Equipe CT Peixes)


Assessoria de Imprensa | CGT Eletrosul

(48) 3231-7588 | imprensa@cgteletrosul.gov.br

 

voltar        topo da página

CGT Eletrosul
Rua Deputado Antônio Edu Vieira, 999 - Pantanal - Florianópolis - SC.
Telefone: (48) 3231-7000
  • Siga-nos pelo Facebook
  • Siga-nos pelo Twitter
  • Siga-nos pelo Youtube
  • Siga-nos pelo Instagram
  • Siga-nos pelo Youtube